Buscar
  • Diego Camilo

Você é um personagem real?

Você sabe o que é um “personagem real”?

Sabe que não adianta ser um bom ator se a demanda for essa?

Entende a diferença de uma obra documental para uma obra ficcional?

Você sabe como se destacar nesse tipo de seleção? Se você já participou desse tipo de seleção ou tem dúvidas relacionadas ao tema, leia este texto até o final.


O que comumente é chamado de “personagem real” nos anúncios de vaga para algumas campanhas publicitárias, também é chamado dentro da sociologia de “ator social” , tendo talvez como termo mais adequado para designar aqueles que participam deste tipo de trabalho, “Performer” ou “Persona”. Oriundo das artes cênicas, o termo “performer” não encara um tipo, como ator de teatro, cinema e TV, ou seja, não se anula para interpretar um outro ser inventado, é sempre ele, em pessoa, que atua. Tudo o que cria e as imagens que constrói, através da fabulação, dos gestos da inação, dos movimentos, do silêncio, etc. São espécies de camadas de si. O performer é o próprio autor/ encenador do seu espetáculo. As personas surgem no processo de criação, mas podem tomar um rumo qualquer durante a apresentação/ gravação.


Como este tipo de trabalho opera muito fortemente com a participação de seres reais, cuja existência concreta está no mundo da vida e não da ficção, é, portanto, plausível chamá-los de “performers”, uma vez que a imagem que forjam de si, é resultado da interação com o documentarista / diretor e a câmera/ espectador, no momento da filmagem.

Neste tipo de Job as coisas são mais complicadas, pois, em geral os participantes não são artistas profissionais e continuarão a existir independente do filme, ao contrario de um personagem fictício que só existe em cena. Há algo de irredutível nele, a pessoa em corpo e vivencia, cuja existência concreta está no mundo da vida e não só na tela. Tanto que o valor do participante não reside no uso de técnicas para disfarçar ou mudar comportamentos e personalidade habituais, mas nas formas como comportamento e personalidade habituais servem as necessidades do documentarista/ Diretor, o tal bom personagem. De todo modo ainda que não exclusivamente, quem aparece em um documentário é também um ser construído pela linguagem audiovisual, semelhante à ficção.


Cabe, no entanto, fazer duas distinções básicas. Se a personagem ficcional representa papéis de acordo com técnicas e modalidades próprias à ficção, neste tipo de Job as pessoas tornam-se personagens a partir das modalidades expressivas do campo audiovisual (imagens, planos, movimentos de câmera, luz, sons, montagem, etc.), e da sua experiência na vida real, certo modo de estar e viver no mundo.


No caso da publicidade como o discurso fundamentalmente criativo e persuasivo, toda a escolha de palavras e imagens é ou deve ser estratégica. A análise, desta peça mostra-se oportuna, pois nela se verifica elementos discursivos selecionados e compostos em uma montagem, tendo em vista, objetivos específicos. Isto é, uma representação discursiva cuidadosamente construída com o objetivo de chamar a atenção para o aumento do interesse de um determinado público consumidor do produto novela, a respeito de sua mensagem por intermédio do uso de informações enigmáticas no início da campanha de divulgação da obra televisiva.


Abaixo estão selecionados dois exemplos de campanhas publicitárias com elenco Tá Produções Consultoria onde os atores são pessoas que vivem estes personagens em seu cotidiano.


1° Teaser da Novela "Amor de Mãe"

Para este projeto pesquisamos por pessoas que tinham histórias de vida comoventes envolvendo suas mães. Escolhemos as histórias, não as pessoas. Mas quem contaria a história seria a própria pessoa.


Campanha do "CONFEF 2018"

Buscamos por profissionais de educação física atuantes em sua área de formação para encenar suas atividades cotidianas dentro de uma história ficcional que retratava como este profissional faz parte de nossas vidas em todas as suas etapas.



É muito importante na era da tecnologia, estar atento às novidades das nossas profissões. Com o aumento da publicidade em redes sociais. Cada vez mais os diretores tem buscado a identificação entre as histórias de vida das pessoas e as obras audiovisuais, essa uma grande tendência do mercado de publicidade. Obras documentais ou que misturam realidade e ficção.




FONTES: 1- CINE CACHOEIRA 2- E-REVISTA UNIOESTE

40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo